homem de gelo

quando o dia chamar você
pra caminhar na areia cinza
e seus pés na água molhar,
voa pra lá, não diga não
que o sol te espera no mar.

os carros correm loucos demais
homens com pressa de chegar
não é pra você este lugar.
esquece tudo, nem pare pra ver
que o sol está a te esperar.

o asfalto quente não vai queimar
seus pés descalços sem calejar.
por apostar, você vai liquefazer.
suas têmporas, sim, vão gotejar.
seus fluidos vão obedecer.

quando nessa água se misturar,
não tenha medo de se encontrar.
não há limite entre o mar e você.
só o calor vai te mostrar
as razões que há pra derreter.

a mulher do jangadeiro

vem, entra nessa jangada
navega comigo por esse mar
vem, está tudo certo
nossa viagem já vai começar

vem, entra nessa casa
que tem janela voltada pro mar
vem, que a noite é enluarada
e os seus olhos já vão mergulhar

nos meus pensamentos vastos
dançar comigo sobre as águas do mar
cantar suas canções em meu ouvido
deixar meu corpo no seu flutuar

vem deitar em meus braços
quando meu corpo do seu se apossar
vem derrubar fronteiras
que a vida começa
de frente pro mar

A mulher do jangadeiro é música de Christiaan Oyens e letra de Lívia Gusmão