Escritos Achados e Perdidos

sem tempero

como eles querem.
sou tão diferente disso
e tão igual também.
sou o vazio de mim
e sinto.
não dá pra ser tudo
ao mesmo tempo.
não tenho tempo para isso.
só tenho tempo para mim
e mesmo assim não me vejo.
um desencontro dentro de mim.
o sangue sobe,
o sapo desce,
sem sal, sem tempero.
sem nada enfim.
apenas me sobra a golfada
do câncer emanado.
um ódio, uma raiva
uma mágoa, uma palavra
um quê que não foi
não vai, só fica
e a boca amarga
do gosto do sapo
que engoli.

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on pinterest
Share on twitter
Share on linkedin

Minha bandeira exposta

Quando ouvi que não chegaria onde cheguei por ser “como pareço”, refleti e constatei: cheguei por ser quem sou.

Manifesto de todo dia

Sempre ouvi dizer que devemos viver Todo dia como se fosse o último.Então, se é pra ser o último, que seja sábado. Sábado é o

Sextou

O brasileiro é apressado. Já reparou? Nem terminaram de servir o banquete. Calma, gente. É cedo demais para escolher um lado. Seja frio, fique tranquilo.