Escritos Achados e Perdidos

Gemido do corpo

♥ imagem concedida por weheartit.com/bruh ♥

No balé dos corpos
A leveza das curvas
Dizem mais
Que um discurso de som.
Um sobre o outro
O outro sobre um
E já não sei mais se sinto
A pluma dos corpos se tocando
Ou o suor do esforço para o movimento.
Não são carnes, nervos ou músculos
Nem almas e mentes em desatino.
É só beleza.
A beleza da forma
Que da imperfeição faz-se obra irretocável.
É o balé da geometria irregular,
Da geografia das planícies e vales,
É a matemática das ondas
Que ora crista, se pisca, base.
E nessa freqüência, se alguma voz me fosse dada,
Não seria silêncio,
Mas gemido.

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on pinterest
Share on twitter
Share on linkedin

Minha bandeira exposta

Quando ouvi que não chegaria onde cheguei por ser “como pareço”, refleti e constatei: cheguei por ser quem sou.

Manifesto de todo dia

Sempre ouvi dizer que devemos viver Todo dia como se fosse o último.Então, se é pra ser o último, que seja sábado. Sábado é o

Sextou

O brasileiro é apressado. Já reparou? Nem terminaram de servir o banquete. Calma, gente. É cedo demais para escolher um lado. Seja frio, fique tranquilo.