valsa

o tempo consome
os dias passados
em vãos devaneios
em colchões alheios
em vazias presenças
o tempo que some

o tempo escolhe
quem fica ao seu lado
a paixão recolhida
o beijo molhado
o adeus da partida
o tempo encolhe

o tempo dizima
o que traz pouco a pouco
o orgulho ferido
o amor acabado
o desejo e a cobiça
o tempo de cima

o tempo devolve
o que toma da vida
o brilho nos olhos
o sorriso de canto
a eterna malícia
o tempo envolve

Valsa é música de Christiaan Oyens e letra de Lívia Gusmão

2 Comments

  1. Bela poesia. Artigos e substantivações.
    O meu blog é simples. O que vale é o conteúdo – muitos textos… Trabalhos de faculdade, poemas, um conto, uma receita de relacionamento, um pré-roteiro…
    Enfim, de uma lida, faça-me uma vizita.

    Abraço e parabénss pelo trabalho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *