vamos amor

amor, vamos morrer de velhos
de amar esse cotidiano insano
vamos correr feitos crianças
nos corredores dos templos calados
de mãos dadas e olhos fechados
amor, vamos viver o tempo
que ganhamos de brinde apesar da hora
que queixamos o mapa desdobrado
que confunde nossos itinerários
que queremos manter em comunhão
amor, vem pro nosso mundo sem demora
não vivo nem um segundo sem pensar
na eternidade dos instantes com você
que acabam antes de amanhecer
amor, vamos sumir por esse caminho
esconder debaixo da cama nossos desvios
as sacanagens que cometemos em segredo
sem um pingo de vergonha e silêncio
às favas os vizinhos emprestados
amor, vamos fazer tudo de novo
hoje amanhã e nos próximos anos
e lembremos de nós nas próximas vidas
como quem tem déjà vu a cada esquina
amor, vamos esquecer o passado
que é caminho de atraso de vida
o destino vem pela porta da entrada
vem de frente, viagem sem escala
eu pra você, você em mim essa loucura
essa euforia que se chama liberdade
do amor desmedido sem prazo de validade
amor, vamos morrer de amar em vida

sal na chuva

sabe aquela sensação de que o trem passou
depressa demais
e você não conseguiu chegar a tempo?

a sensação de que a vida passou
depressa demais
e você não conseguiu ser feliz a tempo?

a sensação de que a felicidade passou
depressa demais
e você não conseguiu sorrir a tempo?

quanto tempo terei ainda para ver
o trem passar, a vida chegar
e a felicidade sorrir pra mim,
numa segunda chance de ser feliz?

onde mora a felicidade

não está num lugar
ela não tem morada
não sabe aonde vai
não tem hora marcada
não sabe escolher seus amigos
não elege os banidos
seu prazo de validade
é o dia da chegada

não muda com o vento
não está em movimento
e se some, não é morte
é só o momento em que ela dorme
não tem dono nem comanda
não é coisa que se proclama
ela não se consome
nem se jura aos pés da cama

não procura um destino
ela dança ao próprio contento
não se parece comigo
ela é a beduína do alento
será que está aqui
será que está por perto
será que está nas dunas
de um coração deserto?

onde mora a felicidade,
onde mora a felicidade?
onde mora a felicidade,
onde ela mora?

Onde Mora a Felicidade é música de Christiaan Oyens e letra de Lívia Gusmão