sinfonia

o corpo ressoa em vibrato
o silêncio cantado nas veias
em ondas vermelhas por fora
em cordas azuis na madeira

retumba órgão apressado
os poros eriçam em brio
o som agudo dos olhos
é stradivarius no cio

o ar que rege a harmonia
inspira, em fole, o pulmão
em dor maior afinado
viola ventre contração

os pés marcam contratempo
em tempos difíceis e errantes
as mãos tremulam sem vento
suas notas tão dissonantes

ausência de som não existe
antes que se acabe o calor
de seu minueto de vida
e dorme seu trovador.

* Sinfonia é música de Christiaan Oyens e letra de Lívia Gusmão

One Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *