quando eu quis te esquecer

quando eu quis te esquecer,
acordei às seis da matina.
fui pro banho gelado
pra despertar da ressaca,
tomei café na padoca
pão na chapa, uma média.
pensei nas viagens que tive
enquanto você falava sobre
as águas quentes do Leblon
e os tsunamis no Japão.
quando eu quis te esquecer,
passei a chorar com frequência
ao ver na tv qualquer besteira.
até na rádio prestei atenção.
fui ao cinema ver woody allen,
achei graça no humor inglês.
larguei meu trabalho de vez,
me conectei ao espírito zen.
tentei fazer flor de lótus
em origâmis que piquei um a um
até transformar em mandala
pra pendurar no banheiro.
quando eu quis te esquecer,
perdi a hora do encontro.
perdi a cabeça e o dinheiro.
juntei minhas tralhas,
fiz as minhas malas.
e, com o juízo que ainda restava,
percebi que minhas idiossincrasias
era tudo o que eu podia ter feito,
e não fiz, todo dia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *