Prosa em verso

Sem estilo,
Sem métrica
E sem ritmo.
Seria prosa então
Se não fosse verso
De beleza infinda
A arte de falar
Com tinta e papel,
Representando o que
Nem forma possui.
Plantar idéias,
Semear sentimento
E colher o olhar.
Toda a atenção,
Tudo é ascensão.
E o cio não ocorre mais na terra,
Matéria que nos esvai
Das mãos calejadas de sofrer,
Mas floresce sim
Entre as rochas
Que alicerçam o peito.

A forma de se escrever independe do que se quer dizer. Se não há verso, que haja prosa. Um dedo dela. Mas que seja eternamente bela e que desperte sempre o desejo de viver.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *