Peneira

Esconder.
Escondido.
Esconderijo.
Escondo-me de mim em mim
Mesmo para me proteger.
Tudo me alcança.
Nem o chão frio do banheiro
Deixa de me espiar
Por baixo
Pelas entranhas
Estranhas portas com
Casas apagadas.
Coisas mal contadas
Vidas mal faladas
Línguas enfiadas
Em orelhas virgens.
Viagem…
Cadê minha peneira
Para tapar este sol
Escaldante
Ofuscante e
Cineasta de mim?
Cadê a sua?
Não quero que me veja
Aqui nem ali.
Não quero que me olhe
Nem sinta.
Apenas entenda.
Quero sumir do seu campo
Descobrir o grampo no meu celular
E tirar meu time completo,
Porque não sei amar.
Fujo de tudo.
Só não escapo de mim.

2 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *