o pão nosso de todo dia

o que mata não é seu humor
o que me mata é o seu amor
pior pra mim, melhor pra você
o que eu preciso todo dia
meu escapulário divino
meu santo, meu demônio
herege e puro ser

o que mata não é querer
o que mata é não te ter
porque em mim está, é fato
o suspiro ao acordar
espreguiçar pra adormecer
desejo de matar
delírio de morrer

o que mata não é amar
o que me mata é o não você
o que te sobra na pele
o que deixei nas entranhas
da sua alma encruzilhada
entre o pão nosso de todo dia
e a fome que te faz viver

* O pão nosso de todo dia é música de Christiaan Oyens e letra de Lívia Gusmão

One Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *