nas fronteiras

palavras, oportunidades
efemeridades
um laboratório que vai e vem
perigoso e latente
é quente e doce
dormente
disparidades que acometem
vontades e descontroles
frio, arrepio
nada melhor do que uma
oportunidade
para se sentir vivo
os pêlos eriçados
e os poros tão fechados
que parecem pequenos morros
e morres em meus braços.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *