não há amar sozinho

amor,
não há amar sozinho.
cada poro do corpo é alma
na inquietude do mundo, e cala
no mergulho dos olhos. fala
de se entregar não com coragem
mas sem sequer rastro de medo
e fazer cada minuto
o latejar do tempo.

amar é confundir os cheiros,
impregnar-se em desejo
e nele despertar a centelha.
amar é se fundir no beijo.
é um ser pleno enquanto dois.
é aguçar o que pulsa, instinto
no quase extinto
amor,
não há amar sozinho.

*Não há amar sozinho é música de Mauricio Nogueira e letra de Lívia Gusmão

2 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *