morada serena

pelas frestas, vejo uma luz
teimosa a brilhar
e uma porta entreaberta
a sorrir e a chorar.

não há esconderijo,
só o momento de esperar.

quero apenas um caminho
porta ou janela, tanto faz
passos óbvios
dor moderada
coração e mente em paz.

travessias, ventos
espumas e músicas.

que o vento bata forte
e feche portas ou janelas.
deixe apenas o caminho e o sol
a guiar as minhas pernas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *