Jazz

Procuro respostas no labirinto de espelhos.
Todos os eus me olham com olhos fundos,
Olhos rasos d’água,
Olhos de contemplação,
Olhos de faca sobre mim.
Imploro-te para matar-me.
Não te pago,
Mas te eximo da culpa.
Dou-te a arma que deverias me pôr em punho jazz
E tu, traidor de minha fé,
Preferes lascar minha carne
E comer os pedaços,
Saboreando cada poro da desgraça.
Limpas teus dentes com minhas unhas roxas
E vê-me dilacerada em teu chão.
Jazz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *