encontro com o agora

hoje eu vi o inimigo.
travei com ele uma luta
bem na frente do espelho.
me deixou suspensa no ar
com um golpe em apneia.
hoje eu cheguei lá
onde a paisagem é sem cor
e não há parede para se encostar
e nem luz para se ver.
um labirinto sem saída
com rosas murchas
quase sem vida.

hoje eu vi
que a distância é doída
que suspiros se apagam
com o tempo, amores também vão.
hoje eu não quis mais nada.
meu corpo, pendurei no cabide.
uma roupa usada
que esfregaram ao limite.
uma trama frouxa
uma trouxa desajeitada.

hoje eu escrevi à mão
com caneta e folha nova
nova em folha, acredite.

One Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *