é possível que não

é possível que nada mais aconteça
nessa vida de surpresas pitorescas
e beijos de novelas com trilha sonora
que embalam os corpos em suas poltronas

é possível que não amanheça
depois dessa noite de disco riscado
e esse blablabla só pra livrar espaço
nessa cama de lugar reservado

é possível que eu não adormeça
ao som do jogo de cartas marcadas
e das pessoas que transitam aqui dentro
desse espaço morto que carrego comigo

sou tudo aquilo que não percebo
exatamente o que você não quer
sou tudo aquilo que você tem
sob o que rege o badalar do tempo

é possível que simplesmente não dê em nada
essa sua mania de canção e partido
levantar bandeiras e ir além das pernas
das morenas com quem divide o abrigo

é possível que eu já não queira
essa história de amor mal passado
que eu chute o braço do seu violão
como pau de barraca de barraco caído

é possível que eu não precise
olhar mais na sua cara em definitivo
se teve alguém que me prestou homenagem na vida
esse alguém, malandro, sou eu

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *