Dueto

Eu amo você
E não importa o que faça
Saboreio-te como a uma taça de vinho.
Passeio com os dedos pelas bordas de teus lábios,
Suaves, não tintos, eterno caminhar
Liberando meus passos, meus braços, meus traços, meu tinto
Rastros esculpidos em pele e óleo,
Em solo árido a me molhar
Completando o eterno ciclo do “querer-te bem”
Deixando em aberto apenas as frases desconexas do amar.
Sinto o intenso sopro da paixão
Como um pagão molhado de desejo
E sentenciado à libido que me desperta o teu olhar.

“Dueto” foi escrito por Lívia Gusmão e Ricardo Bernardo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *