dias de chuva

para os dias de chuva
reservo o tédio.
conto gota a gota suas súplicas
por um pouco de amor.
arrasto seu corpo pelo apartamento
como quem arrasta correntes na prisão.
risco as paredes diariamente
na contagem regressiva por um pouco de sol.
já não agüento poesias mofadas
em devoção a uma insustentável ilusão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *