Diariamente

Ou eu te ligo
Ou escrevo um poema
E entre dois prazeres
Que provocam minha libido
Fico com você
Que de tão virtual
Se torna perfeito.
A voz feminina
De sua secretária
Não esconde a eletrônica
Que está por trás dela.
E amanhã
Quando eu chegar
Ao nosso encontro virtual
Direi quantas vezes te liguei
E você
Com seu olhar de tela
Dirá que
A bateria do seu coração acabou
E que nosso amor morreu
De falência múltipla por omissão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *