depressa aos poucos

se morre um pouco por dia
quase não sente o corpo cair
mas ao morrer tudo de uma vez
impossível não sentir o chão comer
as mãos os pés os planos a fé
não interessa com quantas letras
escrevam o adeus no jazigo
melhor seria ouvir em vida
todos os dias ao pé do ouvido

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *