alma à deriva

minhas mãos se revelam
para decorar suas linhas.
suas mãos ainda preferem
o pulsar que me mantinham

com sua voz a sussurrar
os seus sonhos projetados,
a verdade que procura
nas suas noites em claro.

minhas impressões, sua pele
e as suas por meu corpo.
no espaço entre meus braços,
o encaixe de seus ombros.

minha boca entreaberta,
esperança que saliva
sua volta à nossa casa,
enquanto sou alma à deriva.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *